"Definir é curto e vago. Não sou polida de bons modos. (Não é meu propósito.) Prefiro quem não idealiza a própria existência em sentimentos água-com-açúcar. É fácil cativar, ser bom-moço, cordial e sorrir todo o tempo. Essas coisas qualquer revista chinfrim vende como capa. Aparências de plástico. Complicado é vestir a carapuça e assumir erros, anseios, angústias e lágrimas. Conseguir captar a própria essência e saber de si é tarefa pra quem sabe que definições não definem, só rotulam."
~ quarta-feira, Setembro 10 ~
Link permanente

dosedecharme disse: Adorei seu cantinho :D +f

Obrigada querida! O seu é lindo também! Volte sempre! =D


Link permanente
1.550 notas
reblogged via triunf0
Link permanente
2.773 notas
reblogged via triunf0
Link permanente

(Fonte: ultimosonho)


31.321 notas
reblogged via triunf0
Link permanente

(Fonte: ohsuck)


3.344 notas
reblogged via seu-cu
Link permanente
6.109 notas
reblogged via dosedecharme
~ terça-feira, Setembro 9 ~
Link permanente

(Fonte: ciclodlua)


5.514 notas
reblogged via cueca-do-avesso
Link permanente
2.951 notas
reblogged via iluminuraa
Link permanente
A gente corre o risco de chorar um pouco, quando se deixa cativar.
O Pequeno Príncipe.  (via light-beams)

(Fonte: s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)


24.127 notas
reblogged via cueca-do-avesso
~ segunda-feira, Agosto 25 ~
Link permanente
Às vezes me lembro dele. Sem rancor, sem saudade, sem tristeza. Sem nenhum sentimento especial a não ser a certeza de que, afinal, o tempo passou. Nunca mais o vi, depois que foi embora. Nunca nos escrevemos. Não havia mesmo o que dizer. Ou havia? Ah, como não sei responder as minhas próprias perguntas! É possível que, no fundo, sempre restem algumas coisas para serem ditas. É possível também que o afastamento total só aconteça quando não mais restam essas coisas e a gente continua a buscar, a investigar – e principalmente a fingir. Fingir que encontra. Acho que, se tornasse a vê-lo, custaria a reconhecê-lo.
Caio Fernando Abreu. (via romeuemcrise)

(Fonte: embriagar-se)


3.701 notas
reblogged via romeuemcrise